junho 12, 2011

Salas Contemporâneas

Salas contemporâneas
por Fernando Piva
Nossa segunda aula do Curso de Decoração Casa Claudia 2010 conta com
a maestria do designer de interiores Fernando Piva. Profissional de projeção
nacional, desde 1990 imprime seu estilo sofisticado e acolhedor em projetos
residenciais e comerciais. Convidado para as mais importantes mostras de
decoração, detém no currículo prêmios que atestam seu talento em aliar
conforto, estética e praticidade. Piva escolheu o MuBE – Museu Brasileiro da
Escultura, para falar sobre as novas tendências que caracterizam o living da
casa moderna. Rodeado pelas silhuetas femininas da exposição Brecheret –
Mulheres de Corpo e Alma, ele deu dicas preciosas de como conquistar um
espaço agradável e funcional, integrado à linguagem do morar atual



O que vem primeiro


Estrela principal da sala, o sofá sem dúvida é o móvel que encabeça a lista das peças que
compõem a decoração do estar. A partir dele se seguem as demais escolhas. Para acertar no modelo o importante é saber que tipo de uso o ambiente terá. Em livings onde apenas se recebem visitas o estofado deve ser mais reto, em que se possa sentar com elegância, sem afundar. Tecidos finos e claros são bem-vindos. Já, se o ambiente também tem função de home theater, o correto é optar por um modelo meiotermo, nem muito sério, nem muito descontraído, algo onde se possa confortavelmente assistir à programação ou conversar com os amigos. Sofás molengas, que convidam a se esparramar, só têm entrada livre em salas exclusivamente de TV. Tanto neste caso, como no anterior, capas de sarja branca são a melhor pedida para o estofado. Fáceis de lavar, elas permitem que o espaço seja vivido com mais liberdade.












Na sala contemporânea, peças clássicas e modernas convivem em harmonia. Repare no
diálogo do sofá e da mesa de centro, ambos de linhas atuais, com as poltronas, dois
móveis típicos dos anos 1950 e 60





Hora do Janta



Mais descontraídas, as slas de jantar tem se mostrado
boas aliadas na confraternização entre a família e os
amigos. A tendência é demarcá-la com portas de correr,
que se abrem na hora da refeição, proporcionando
a integração com o estar. Dica: invista em cadeiras
confortáveis, de tamanho e em quantidade compatíveis
com a mesa. Bem acomodadas as pessoas com certeza

passarão mais tempo reunidas





Aula 2
Salas contemporâneas
por Fernando Piva






Boa iluminação










Para criar uma atmosfera aconchegante no estar, aposte num mix de lâmpadas. Procure
misturar dicróicas, AR 111 e AR 70 nos spots e abajures. Em sancas, as fluorescentes de
tom amarelado são as mais recomendadas






Uma claridade balanceada, de acordo com
a situação de uso, responde por 90% do
aconchego da sala. Para tanto, é preciso que
o projeto luminotécnico esteja atrelado ao
layout do ambiente. Assim, antes de pensar em
lâmpadas e luminárias, deve-se saber como
será a distribuição do mobiliário e dos quadros.
Pode-se optar por uma iluminação pontual sobre
eles, por uma iluminação cênica, protagonizada
por spots embutidos que apenas “lavam” as
paredes, ou por ambos os tipos. Como tudo isso
demanda alteração nos pontos de elétrica e na
instalação de forros de gesso, essa fase deve
acontecer bem antes da chegada dos móveis.
O ideal é fazer um mix de lâmpadas, como
dicróicas e AR 111 e AR 70 (esta, de facho bem
fechado, cria interessante jogo de luz e sombra).
Evite usar na área social as fluorescentes, a não
ser em sancas, mas, mesmo assim, prefira as de
tom mais amarelado. Por criar uma atmosfera
gostosa, estantes iluminadas estão em alta. Ao
projetar o móvel, crie condições para embutir
spots nas prateleiras ou apenas na parte superior,
quando a luz ganha efeito cascata, iluminando
de cima a baixo. Aposte ainda em dimmers e
em circuitos independentes. Isso possibilita
clarear trechos individuais na sala e controlar
a intensidade da luz. Com um investimento
maior, pode-se contar também com sistemas
automatizados de iluminação, em que é possível
programar diferentes cenas ao estar: festa, dia,
noite, filme, entre outras.

De olho nas paredes



Misturar estilos de obras, modelos de moldura e cores 
de passepartout é o jeito mais moderno de dispor 
quadros. Exceção apenas para séries, quando se deve 
manter unidade entre os trabalhos. E quanto mais 
assimétrica a distribuição melhor. Quanto à altura, 
os quadros ficam abaixo ou bem acima da linha do 
olhar. Independente das tendências, confie na sua 
sensibilidade e bom gosto. Antes de furar as paredes, 
simule a distribuição com folhas de papel e certifique-se 
de que há harmonia entre as obras e os móveis.





Sala e varanda




Terraços de tamanhos generosos são hoje 
o grande atrativo dos novos apartamentos. 
Fechados por vidros corrediços, eles não ficam 
refém das intempéries e se transformam numa 
agradável extensão do estar. Sem perder a 
vocação de área externa, jardins de vasos e 
pequenas hortas costumam marcar presença 
nesse ambiente, ao lado de móveis confortáveis, 
sob medida para tomar um café após as 
refeições, ler o jornal ou simplesmente colocar 
os pensamentos em ordem. E para os dias frios, 
nada melhor do que instalar uma lareira por 
aqui. Se estiver a fim de enfrentar uma pequena 
reforma, é sempre mais bonito estender o piso 
da sala até a varanda. Isso proporciona um visual 
único e faz tudo parecer maior. No entanto, nada 
impede de manter no chão do terraço a cerâmica 
ou o mármore que costumam ser entregues pela 
construtora. Os dois revestimentos combinam 
com as tábuas do estar.



.
Pisos bem vestidos

Tapetes fazem toda a diferença na sala. Eles arrematam a 
decoração e garantem aconchego ao espaço. Para bem posicioná-
los, faça com que eles fiquem de 20 a 30 cm para fora das laterais 
do sofá e se estendam até a metade da profundidade do estofado. 
As opções são muitas. Entre os mais procurados estão os de fibra 
natural com mescla de cores e texturas, os clássicos – persas e 
aubussons – e os de náilon que, feitos sob medida, possibilitam 
uma infinidade de desenhos e espessuras. Um único grande tapete 
cobrindo todos os ambientes do estar ou a mistura de modelos de 
materiais e estilos diferentes rende visual chique e contemporâneo.











Móveis retos, claros e baixos são a tendência 
mais forte da decoração contemporânea.
De aparência neutra, essas peças combinam 
com tudo, desde um clássico tapete 
aubusson ou um felpudo de lã (foto), até uma 
despojada parede de tijolos descascados






Na sala contemporânea, peças clássicas e modernas convivem em harmonia. Repare no diálogo do sofá e da mesa de centro, ambos de linhas atuais, com as poltronas e mesinha lateral, dois móveis típicos dos anos 1950 e 60





Livings que também têm função de home theater pedem sofás confortáveis, mas não fofos demais, para que as visitas possam se sentar de maneira elegante, sem afundar nas almofadas. Neste ambiente, quando o momento é da TV, os pufes possibilitam que os sofás sejam usados como chaises.

Integradas ao estar, as salas de jantar continuam em alta na casa contemporânea. Menos formais, elas privilegiam o conforto, principalmente nas cadeiras, que devem ser extremamente cômodas para estimular encontros mais prolongados durante as refeições em família e entre amigos.

Para criar uma atmosfera aconchegante no estar, aposte num mix de lâmpadas. Procure misturar dicróicas e AR 111 e AR 70 nos lustres, spots e abajures. Em sancas, as fluorescentes de tom amarelado são as mais recomendadas.

Veja como o quadro atrás do sofá ganha destaque nesta decoração. O segredo está na maneira como ele foi disposto: colocada mais à esquerda do estofado, a obra foge do lugar comum sem comprometer o equilíbrio visual entre os demais elementos.

Altos e baixos. A distribuição dos quadros nas paredes hoje está mais livre. Aqui, o desenho de Fernando Lemes foi parar sobre o batente da porta da cozinha. Já a obra de Cecília Walton fica quase rente ao aparador.

Tapetes arrematam a decoração e aquecem o ambiente. Este, de fibra natural, cobre todo o piso do estar, mas observe que ele avança só até a metade da profundidade do sofá. Desta forma o tapete não confina o espaço.

Móveis retos, claros e baixos são a tendência mais forte da decoração contemporânea. De aparência neutra, essas peças combinam com tudo, desde um clássico tapete aubusson ou um felpudo de lã (foto), até uma despojada parede de tijolos descascados.
O segredo para criar uma bonita composição sobre a mesa de centro está em fazer agrupamentos. Você pode ter poucos ou muitos elementos, o importante é criar conjuntos como neste exemplo. Vasos da mesma família ficaram num extremo e, para dar equilíbrio visual, o mais baixo foi colocado sobre os livros (nunca empilhe mais de quatro exemplares).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário